Saiba qual é a primeira etapa para criar um negócio

O que devo fazer para abrir meu próprio negócio? Como devo proceder para abrir a empresa? Por que devo empreender?

É desse jeito! O início de qualquer nova empreitada é cercado de dúvidas, perguntas, incertezas e ansiedade. Ansiedade em responder todos os questionamentos e alcançar o topo.

Responder às questões, pode sim leva-lo a obter sucesso no seu nicho de mercado. Mas há um pequeno “porém”: você está respondendo às perguntas da maneira correta?

Não basta ter as respostas, a forma de expô-las faz toda a diferença.

A FriendsLab não irá enrolar, mas vamos ficar andando em círculos, ou melhor, vamos falar sobre o círculo que irá ajuda-lo ao alcançar o seu objetivo!

Além do nosso post, vocês podem saber mais sobre essa primeira etapa assistindo ao vídeo abaixo:

Simon Sinek e o Círculo Dourado (The Golden Circle)

Iniciamos nosso post com as perguntas mais frequentes de quem vai aventurar-se em um empreendimento. E as perguntas estão na ordem de: O que? Como? Por que?

Não vamos negar que respondê-las seja de suma importância, porém, há de se entender que, no fim das contas, as pessoas irão comprar conforme o seu “porquê” e não o seu “o quê”, como pensamos.

Para isso, daremos voz a Simon Sinek.

A Teoria

O inglês Simon Sinek mostrou que qualquer organização funciona em três níveis:

  1. O que fazem;
  2. Como fazem e;
  3. Por que fazem

Tudo bem representado por um círculo maior e em seu núcleo está a pequena esfera do Por Que.

É importante ressaltar que: independente da representação gráfica, nenhum dos três é mais importante que o outro. O essencial para que o trabalho de uma empresa dê frutos é que as três escalas estejam em equilíbrio – mais adiante falaremos como estabelecê-lo.

Esses tópicos, quando alinhados, permitem que você tome decisões fundamentadas e confiáveis. As pessoas irão olhar para você e entenderão o que é a sua empresa ou negócio e o que você representa.

O Círculo

Obviamente, você tem ou teve alguém ou alguma marca que o tenha inspirado a empreender. Por mais que tenha começado por uma emergência financeira que seja, há alguém que serve de inspiração, que você almeja ter os mesmos resultados ou, ao menos, tornar-se referência.

E o que faz com que essas pessoas e empresas sejam tão destoantes dos demais? Por que elas inspiram tantas pessoas, por anos? O que há de comum entre elas?

A resposta está na forma como elas dialogam, como elas se apresentam às pessoas. E este diálogo está ancorado em uma construção sólida do discurso que responde aos três níveis que citamos acima.

Vamos elucidar os três níveis do círculo para que vocês possam compreender.

O quê

Não há mistério. É o seu produto ou o que você faz (cargo, profissão). Bem, acreditamos que isso você tem bem definido.

Como

O saber do “como fazer” é visto como o principal diferencial para muitas empresas.
Muitas vezes, o COMO é o princípio da empresa, seus valores. A competição empresarial foca-se muito neste ponto.

Por Que

Por mais que digamos às pessoas que os níveis “O que”, “Como” e “Por Que” devam estar em sintonia, são poucas as que sabem responder:

Por que você faz?

É nessa resposta que encontramos os líderes, as pessoas que nos inspiram e que são referências no que fazem.

Porque elas sabem o porquê fazem e transparecem isso em seus discursos.

Elas sabem porque fazem, o porquê estão fazendo. E não é para ganhar dinheiro. A resposta não é para ficar rico. Parâmetros monetários são apenas resultados do que fazem.

O Por Que é a sua contribuição para impactar a vida dos outros. Isso gera empatia. Isso inspira!

O discurso do Círculo Dourado

Sempre ouvimos o discurso “de fora para dentro do círculo”. Afinal, é fácil elaborar um texto simplesmente para vender.

Nós mostramos o que vendemos (ou fazemos), demonstramos a forma como trabalhamos (apontamos os diferenciais, nossos valores) e aguardamos a reação do cliente. Afinal, temos a convicção de que mostramos o melhor produto feito da melhor maneira.

É muito cômodo esse discurso. Racional, porém nem um pouco inspirador.

Quem é líder tem algo a mais. O que faz a pessoa visualizar na outra, uma figura inspiradora?

Líderes que nos inspiram começam o discurso com o porquê fazem!

Quando empresas adotam o discurso de dentro para fora, elas estão não apenas apostando no racional do consumidor, elas estão gerando empatia. Ao expor, primeiramente, as suas crenças, as organizações estão angariando pessoas que acreditam nos mesmos propósitos. E essas pessoas não querem apenas consumir os produtos, elas querem fazer parte de algo maior.

O cérebro e o Círculo Dourado

Toda essa teoria pode parecer um puro “achismo”.

O Círculo Dourado de Simon Sinek é como o cérebro humano, em uma análise do discurso e sua recepção.

Vendo a imagem acima, vemos que o Neocortex está na região do cérebro referente a que seria a do O Que no Círculo de Sinek. A região do Neocortex é responsável pela linguagem e toda parte racional.

Na parte central, onde estariam o Como e Por que, está o Límbico. Essa parte do cérebro responde pelos sentimentos, comportamento e tomada de decisões.

O que podemos deduzir é que quando deparamos com um discurso que vai de “fora para dentro”, o nosso cérebro compreende diversas informações como valores, benefícios etc. Mas esse discurso não estimula um comportamento do ouvinte.

Mas, ao elaborarmos um discurso que comece do Por que e vai para o lado externo do Círculo, nós atingimos o nosso ouvinte exatamente na parte cerebral responsável pelos sentimentos e poder de decisão.

Você pode está se perguntando: “Mas ao falar porque escolhi determinado produto, eu sempre cito as vantagens, os preços. Exatamente o discurso ‘de fora para dentro’. Por que?”.

O Neocortex tenta sempre racionalizar tudo, encontrar sentido e razões para todas nossas ações. E nós acreditamos que realmente nossas ações são, antes de tudo, racionais. Mas, convidamos vocês para uma reflexão.

Se fosse verdade, que nossas ações são primeiramente racionalizadas, você compraria um determinado produto só porque ele te faz sentir bem ou porque ele é mais barato? Nós não escolhemos por vantagens numéricas (por exemplo), optamos pela forma que nos sentiremos com determinada marca ou produto.

O sistema do Límbico é o responsável pelas nossas emoções, decisões e sentimentos. Porém, ele não tem capacidade linguística. O que acontece é que tomamos as decisões no Límbico e a racionalizamos, expressamos, através do Neocortex, que é o único que consegue colocar tudo isso em palavras.

Simon Sinek resume isso:

As pessoas não compram o que você faz, elas compram o porquê você faz!

Potencializando o Círculo Dourado

Retomando o que dizemos no início do texto, para que o Círculo funcione perfeitamente é preciso que os três níveis estejam em equilíbrio e que você tenha:

  1. Clareza do Por Que;
  2. Disciplina no Como e
  3. Coerência no O Que

Esses pontos resumem a teoria de Sinek. Se você não sabe porque está fazendo, ninguém saberá. A maneira como irá fazer, deve condizer com seus valores e princípios. E todas as suas ações e discursos têm que estar alinhados com aquilo que você acredita.

O cone do Círculo Dourado

Além de entendermos o Círculo Dourado como uma ferramenta de comunicação, podemos enxerga-lo como uma estrutura organizacional de sucesso.

Imaginando o Círculo como um modelo tridimensional de um cone visto por cima, temos em seu topo o POR QUE. Em uma organização, esse é o lugar do líder, cabe a ele estruturar o POR QUE visando colher bons frutos no futuro.

Abaixo do POR QUE está o COMO e, numa estrutura representativa de uma organização, estão aquelas pessoas inspiradas pela causa do líder e que trabalham para viabilizar a colheita de tais frutos.

A base do cone, o O QUE, são as coisas ditas e feitas pela organização para viabilizarem o POR QUE.

Círculo Dourado como megafone

Qual a melhor forma para que uma mensagem seja espalhada?

Que ela seja transmitida em alto e bom som, certo? Como se estivéssemos fazendo o uso de um megafone.

Transmitir a mensagem em som alto é simples, para ter esse alcance, basta bons serviços de vendas e marketing. O complicado, é fazer com que a mensagem seja divulgada em bom som, ou seja, de forma clara.

Primeiro, é necessário que a própria empresa esteja esclarecida sobre seus propósitos e o seu POR QUE. Isso acarretará em um simples entendimento por parte de seus colaboradores.

A clareza de ideias atrai muito mais interessados em participar de um determinado projeto e, obviamente, essa facilidade de compreensão tem que partir de quem estar acima na escala organizacional. É muito mais inspirador fazer parte de uma organização em que todos estão cientes dos objetivos e que o exemplo vem do alto escalão, digamos assim.

Então, o seu primeiro passo não é responder àquelas perguntas do início do post. É ter bem claro qual é o seu porquê. Quando tudo o que você faz e diz, reflete o seu porquê é sinal de que você está transmitindo a sua mensagem. Acredite no seu porquê e você não irá ganhar apenas clientes, você será inspiração para pessoas.

E se você ainda não descobriu o seu porquê, mas deseja torna-se um inspirador, a FriendsLab pode te dar aquela mãozinha, basta entrar em contato através deste link. Temos certeza que você e nós faremos um bom trabalho com o Círculo Dourado!

Ah! E não deixe de curtir as nossas redes sociais e deixar o seu feedback nos comentários!

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *