Quais impostos são pagos pelas pequenas empresas

Você tem acompanhado as dicas da FriendsLab sobre empreendedorismo e marketing digital e resolveu abrir o seu próprio negócio? Ou o contrário, exatamente por ter a sua empresa, resolveu nos acompanhar para tirar dúvidas e ficar antenado?

Já falamos sobre inúmeras estratégias de posicionamento de mercado, mas hoje queremos chamar a atenção para algo de suma importância e, porque não, polêmico: os impostos.

Sem entrarmos muito nos méritos da polêmica, se tem algo que deixa os cabelos em pé de qualquer pessoa que resolve ter o próprio negócio são os inúmeros impostos e taxas no mercado. Infelizmente, o nosso país não possui uma política transparente sobre para que e para onde vão tantas cobranças.

Mas, enfim, temos que pagar essas taxas e impostos para nos adequarmos. E não somente as grandes empresas e empregadores ficam a cargo desses pagamentos.

Se você está abrindo uma pequena empresa ou já possui uma, com certeza tem uma enorme preocupação com as cargas tributárias. E, hoje, a Friends irá explicar sobre os principais impostos que recaem sobre as pequenas empresas no Brasil.

Então, vamos lá!

Os principais impostos

Antes de começar a preocupar-se com os pagamentos, vamos deixar claro que a escolha do regime tributário da sua empresa irá influenciar e muito na carga tributária a ser paga.

 Como estamos trabalhando constantemente com micros e pequenas empresas, vamos usar como base para o artigo, o Simples Nacional, que é um regime tributário mais vantajoso para essas empresas.

O Simples Nacional contempla empresas com receita bruta anual de até R$ 3,6 milhões e sua vantagem é que que permite o recolhimento de todos os tributos federais, estaduais e municipais em uma única guia.

Os impostos que abordaremos, hoje, integram o documento único de arrecadação (DAS) no Simples, mas também estão entre as despesas de quem opta pelo regime de Lucro Real ou Lucro Presumido.

CPP

A Contribuição Previdenciária Patronal (CPP) é tributo pago pelo empregador para a seguridade social. Seu cálculo é feito sobre a folha de pagamento e tem alíquota de 20%. Já optantes pelo Simples Nacional pagam uma alíquota embutida na DAS, que fica entre 2,75% e 4,6% para comércio e indústria e varia de 4% a 7,83% em serviços.

ISS

O Imposto Sobre Serviços (ISS) é municipal, a base de cálculo é o valor do serviço prestado. Apesar de variar entre os municípios, a alíquota máxima não passa de 5%. No caso de prestadores optantes pelo Simples Nacional, a alíquota mais baixa é de 2%, chega a 4,65% para quem fatura até 1,8 milhão e, para as empresas de receita superior (até 3,6 milhões), fica no teto de 5%.

ICMS

O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) é estadual, cobrado sempre que ocorre movimentação de produtos. Cada estado tem suas alíquotas além de isenções, a dica é consultar o site do governo de cada estado. Para quem opta pelo Simples Nacional, as alíquotas variam de 1,25% a 3,95% em empresas dos setores de comércio e indústria.

IPI

O Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) é cobrado de produtores e importadores, tendo como fato gerador o desembaraço aduaneiro de produtos vindos do exterior ou a sua saída do estabelecimento industrial. É calculado sobre o preço de venda. Para conhecer suas alíquotas, vale consultar a chamada TIPI, que é a tabela do IPI. Para optantes pelo Simples Nacional, o imposto só é cobrado de indústrias e com alíquota padrão: 0,5%.

Cofins

A Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) é um tributo federal, calculado sobre a receita bruta das empresas. Seu recolhimento se destina aos fundos de previdência e assistência social e da saúde pública. Seu cálculo pode dar algum trabalho, já que depende do regime tributário e da opção ou não pela incidência cumulativa. No Simples, a alíquota alcança até 1,6% no comércio e na indústria, 2,42% em serviços e 2,63% em serviços do anexo IV.

PIS/Pasep

A contribuição paga para os programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) tem sua apuração mensalmente sobre o valor do faturamento ou da folha de pagamento, variando conforme a natureza da atividade. A alíquota é de 1,65% para tributados pelo Lucro Real e, no Simples, chega a 0,38% no comércio e indústria e a 0,57% em serviços.

CSLL

A Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) é destinada para a seguridade social, devendo acompanhar o regime de tributação escolhido para o recolhimento do IRPJ. Sua alíquota é de 9%, exceto no caso de empresas consideradas instituições financeiras, de seguros privados e de capitalização, quando chega a 15%. Para aquelas que participam do Simples, as alíquotas no comércio e nas indústrias são iguais às do IRPJ e alcançam 0,79% em serviços e até 2,53%.

IRPJ

O Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) é o Imposto de Renda da empresa, calculado sobre o seu faturamento e sua alíquota é de 15% sobre o lucro real, presumido ou arbitrado. No Simples, varia até 0,54% nas atividades de comércio ou indústria e pode chegar a 0,81% em serviços.

Como vocês puderam ver, a carga tributária é grande e exige uma disciplina financeira de empresários, independentemente do tamanho do seu negócio. É de suma importância que você mantenha um fluxo de caixa organizado e que as finanças estejam sob controle para dar conta de tantos impostos.

Caso você não tenha disciplina e destreza para lidar com tantos números e impostos, é importante contar com a ajuda de um profissional responsável, tenha sempre nos contatos um contador de confiança para que possa ajudá-lo a colocar a casa em ordem.

O que acharam desse artigo? Conte para a gente como você está lidando com os impostos ou como pretende fazer! E não deixe de compartilhar com seus amigos essa informação importantíssima!

468

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *