Pequeno empreendedor: como implementar marketing na sua empresa? Entenda!

A padaria da esquina, a loja de roupas da vizinhança, a pizzaria do bairro… É possível que você não tenha observado, mas os negócios locais fornecem boa parte dos produtos e serviços necessários em nosso dia a dia. A iniciativa do pequeno empreendedor é tão importante para a economia que representa 27% do PIB do país.

Porém, a rotina desses negócios é repleta de desafios como o cenário econômico instável, o peso de uma política tributária desfavorável, os altos encargos trabalhistas, a concorrência, a dificuldade para ampliar sua fatia de mercado e a necessidade de profissionalização.

A lista de desafios é realmente grande. Diante das dificuldades de manter o negócio rentável, o pequeno empreendedor pode se perguntar: “o que fazer para crescer? Qual é a ‘fórmula mágica’ para alavancar as vendas e expandir o negócio?”.

Se você está buscando um milagre para o seu negócio, lamentamos decepcioná-lo. Não temos essa receita e não falaremos disso neste post. Aliás, caso algum site ofereça a tal fórmula mágica, nossa recomendação é que você desconfie desse tipo de “ajuda”.

No entanto, se o que você quer é uma solução eficaz, testada e comprovada diariamente em milhões de organizações, então chegou ao post certo. Hoje nós vamos contar como uma pequena empresa pode usar o marketing para aumentar as vendas, conquistar o mercado e turbinar seu faturamento.

Quer descobrir como fazer isso? Confira!

Qual a diferença entre pequeno e microempreendedor?

Embora sejam colocados no mesmo barco com muita frequência, em termos legais existe uma diferença entre esses dois tipos de negócios. Os critérios que estabelecem a diferença são determinados pela Lei Geral da Micro e Pequena Empresa.

Segundo esta Lei, são consideradas microempresas:

  • os estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços que empregam até 9 funcionários;
  • as indústrias ou empresas da construção civil que empregam até 19 funcionários;
  • os empreendimentos que não ultrapassam os R$ 360 mil de receita bruta anual.

Ainda de acordo com a Lei, são considerados pequenos empreendedores:

  • os estabelecimentos de comércio e serviços que empregam entre 10 e 49 colaboradores;
  • as indústrias e empresas de construção que contam com um número entre 20 e 99 funcionários.
  • as empresas que atingem uma receita bruta anual entre R$ 360 mil e R$ 3,6 milhões.

Para esse cálculo, é importante ter em mente que receita bruta não é a mesma coisa que lucro — na verdade, trata-se de todos os recursos financeiros que a empresa recebe. Saber essas diferenças permite que o empreendedor pague seus impostos corretamente.

Microempresas são enquadradas no Simples Nacional. Isso significa que ela pagará 4% de impostos se for um comércio, 4,5% se atuar no setor industrial e 6% se for uma prestadora de serviços. A pequena empresa paga uma alíquota bem maior: ela varia entre 16% e 22% — o percentual é determinado de acordo com o faturamento.

Por que o marketing é importante para os negócios?

É fundamental conhecer essas diferenças para gerenciar a empresa da forma correta. No entanto, no final das contas, o que nós sabemos é que todos os empreendedores têm um objetivo em comum: fazer o negócio crescer!

É justamente nesse ponto que entra o foco principal deste post. Como já mencionamos, não se trata de uma “fórmula mágica”, mas de uma estratégia utilizada pelas organizações que alcançaram êxito: o marketing.

Vamos pensar de forma prática? Para que o consumidor chegue, de fato, a comprar o seu produto ou contratar o seu serviço, ele deve ter algum conhecimento ou ideia a respeito do seu negócio:

  • em primeiro lugar, o consumidor precisa saber que a sua empresa existe! Ele deve saber que o seu negócio está ali, o que ele faz e o que oferece ao público;
  • o passo seguinte é que ele tenha uma boa percepção do seu produto. Afinal, por mais que ele saiba o que você vende, ele precisa entender que a mercadoria (ou serviço) tem qualidade e que ele pode colocar o dinheiro ali sem se decepcionar.

No entanto, entre seus concorrentes também há aqueles que oferecem bons produtos, certo? Por isso, o próximo passo é fazer com que o consumidor entenda que o seu estabelecimento traz uma vantagem maior: qualidade, exclusividade ou preço — algo que torne o seu produto uma opção melhor.

Agora, como você espera que isso aconteça? Em pleno século XXI, imaginar que seus produtos e serviços serão milagrosamente encontrados pelos consumidores é uma visão um pouco ingênua, concorda?

Não queremos dizer que isso não pode acontecer. Afinal, durante décadas muitos negócios sobreviveram única e exclusivamente com o boca a boca dos seus poucos clientes. Porém, se você está lendo este post, imaginamos que seu objetivo não seja só a mera sobrevivência — sua expectativa é o crescimento!

O marketing é a estratégia que coloca a sua empresa no mapa dos seus consumidores. Ele faz com que eles saibam que o seu negócio existe, que o seu produto é bom e que adquiri-lo é uma vantagem. É ele quem desenha o caminho que leva o público-alvo ao seu encontro!

Por isso, ao contrário do que muitos empreendedores pensam, marketing não é uma despesa — trata-se de um investimento tão importante como qualquer outro dentro de uma empresa.

Talvez, em um primeiro momento, investir em marketing pareça uma opção assustadora. Provavelmente você pensa naquelas campanhas multimilionárias que as grandes empresas fazem para veicular seus anúncios na TV, nas revistas e nos grandes jornais, certo?

Realmente, muitos de nós crescemos vendo esse tipo de ação de marketing, e um pequeno empreendedor pode pensar: “é muita areia para o meu caminhão”! Afinal, são pouquíssimas a empresas que contam com um orçamento tão recheado.

A boa notícia é que, atualmente, existem inúmeras alternativas. Além de muito mais baratas, elas são extremamente eficazes e, mais que isso, estão antenadas ao pensamento e ao comportamento do consumidor atual.

Quer conhecer essa nova alternativa? Bem-vindo à era do marketing digital!

O que é o marketing digital e quais são suas vantagens?

Já falamos um pouquinho sobre as antigas ações de marketing — todos nós vimos as grandes empresas investindo em superproduções para comerciais de TV, rádio, revistas e jornais de grande circulação.

Essas campanhas sempre exigiram quantias milionárias e, por isso, você pode observar que um número relativamente pequeno de empresas foi capaz de utilizar esses métodos e conquistar visibilidade.

No entanto, durante décadas esses foram os únicos meios para atingir o público. A regra era: pouco espaço e muito dinheiro em troca dessa atenção. Felizmente, para a maior parte dos negócios, essa realidade mudou — uma invenção foi decisiva para isso: a internet.

Atualmente, qualquer pessoa ou empresa pode ter um site ou página nas redes sociais. Com custos mínimos, é possível ter um espaço para divulgação, mostrar produtos e serviços aos consumidores sem ter que recorrer às grandes organizações de mídia.

Se você pensa que o marketing digital é uma opção de “segunda classe”, está na hora de mudar de ideia. Aqueles comerciais caríssimos na TV, por exemplo, são cada vez menos efetivos. Isso acontece porque o novo consumidor não é mais aquele público passivo, que assistia e aceitava tudo o que passava na grande mídia.

O consumidor de hoje é conhecido como geração “on demand”. Ele recorre cada vez mais a serviços de streaming, grava seus programas e pula muitos comerciais. Aliás, muitos deles nem mesmo consomem conteúdo na TV!

Está cada vez mais comum assistir todo tipo de programa informativo ou de entretenimento em canais digitais como plataformas de vídeo.

Essa revolução foi fantástica para as pequenas e médias empresas, que não possuem milhões para investir em comerciais de TV ou anúncios em jornais. Ela democratizou as oportunidades de marketing e o tornou acessível a qualquer tipo de empreendimento.

No entanto, essas empresas de pequeno e médio porte ainda precisam lidar com um grande desafio — chamar a atenção do público-alvo. Com tantas páginas e anúncios pipocando nas nossas telas, como fazer o consumidor prestar atenção exatamente no seu conteúdo?

Esse é o papel do marketing digital. Essa estratégia utiliza ações online para atrair o seu público-alvo, criar um relacionamento com ele e conduzi-lo desde a descoberta de uma necessidade até o momento da compra.

Além dessas vantagens, o marketing digital pode garantir a expansão de um empreendimento em novos territórios sem a necessidade de criar uma única filial. Se o seu produto pode ser comercializado pela internet, é a sua chance de fazer a sua loja alcançar clientes de outras cidades, estados e até países!

É assim que muitas empresas têm crescido. Quer saber como o marketing digital funciona? Acompanhe!

Por onde começar: como fazer um planejamento de marketing?

Comece com um planejamento para o seu negócio

O marketing vai ajudar a sua empresa a chegar lá! Você já sabe onde é “lá”? É isso o que o seu plano precisa definir. Qual é o objetivo que você deseja alcançar? O que você espera conquistar com o negócio?

Por isso, a sua empresa precisa ter um planejamento estratégico. Defina qual é a sua missão, sua visão, seus valores e quais são as metas mensuráveis do que deseja alcançar.

Seu empreendimento é uma pequena pré-escola que atende cerca de 60 crianças entre 3 e 5 anos? Então determine um alvo: atender Educação Infantil e Ensino Fundamental e ter 300 alunos em 5 anos, por exemplo.

Além disso, é crucial ter um plano de expansão. Comportar mais alunos exigirá um investimento para a construção de salas, compra de mobiliário e equipamentos, contratação de funcionários. Para captar clientes — o objetivo do marketing — é preciso ser capaz de atendê-los!

Analise o mercado em que a sua empresa atua

Você não está sozinho nesse imenso oceano chamado “mercado”. Além das características da sua empresa, é preciso considerar as necessidades do público-alvo, o momento econômico e os seus concorrentes.

Por isso, é importante fazer o planejamento levando em consideração essa análise mais ampla. Uma ferramenta que pode ajudar é a matriz SWOT (ou FOFA). Ela ajuda você e seu time a identificarem as Forças da sua empresa, as Oportunidades que o mercado oferece, as Fraquezas da organização e as Ameaças que ela enfrenta no dia a dia.

Com essa análise, a equipe descobrirá o que precisa melhorar para atender às necessidades do mercado e conquistar clientes (oportunidades). Assim você também identificará pontos fortes para destacar em seu marketing, mostrando ao público-alvo que o negócio tem um diferencial, uma vantagem que eles não podem perder.

Entenda quem é o seu público-alvo

Para vender o seu peixe será necessário saber como ele atende às necessidades do seu público-alvo. Para isso, é fundamental definir o perfil do consumidor típico, sua persona — aquele que você costuma ou quer conquistar.

É indispensável saber quem são seus compradores em potencial (gênero, idade, localização), sua ocupação (profissão, renda média), seus interesses e necessidades (hobbies, opções de entretenimento, onde passa o tempo livre, quem são as pessoas com as quais eles se preocupam), além dos canais de onde recebe informação.

Foque nos 4 Ps do marketing

Agora você já conhece bem o seu negócio, o mercado e o seu público-alvo. Então, é o momento de focar em 4 elementos essenciais do marketing, que podem ser usados tanto nas ações tradicionais como para o marketing digital.

  • Produto: o que é? Qual é o nome? Como é usado? De que forma ele atende às necessidades ou expectativas daquele público-alvo que você pesquisou?
  • Preço: qual é o preço? Como pode ser pago? Trata-se de um pagamento único ou uma mensalidade? Como ele pode ser classificado quanto à relação custo-benefício?
  • Praça: onde seu produto ficará disponível? Quais são seus canais de distribuição? O fornecimento é local ou pode ser vendido para consumidores distantes (como em um e-commerce)?
  • Promoção: como você vai “vender o peixe”? Qual é a mensagem de vendas? Onde ele será anunciado para atingir seu público-alvo?

Esses são os principais elementos para montar a sua estratégia de marketing. Quando o empreendedor não conhece essas informações, as chances de criar campanhas efetivas e alcançar o sucesso são muito reduzidas.

Por outro lado, quando esses fatores são conhecidos, as chances de alcançar o público-alvo, mostrar o valor do produto ou serviço e conquistá-lo são muito maiores. Já tem esse levantamento?

Então confira as nossas dicas para turbinar o marketing do seu negócio!

Confira 7 dicas de marketing para o seu negócio

1. Construa sua presença online

Atualmente, quem não está no mundo virtual simplesmente não existe! Portanto, o primeiro passo é estabelecer a presença da sua empresa online. Se você ainda não tem um site e um blog corporativo, essa é uma medida urgente!

Outro ponto importante é marcar presença nas redes sociais. Você já pesquisou onde sua persona consome informação, certo? Então, se o seu público está no Facebook, no Instagram ou no LinkedIn, é hora de a sua empresa aparecer por lá também!

2. Crie conteúdo relevante

Não pense que estabelecer uma presença virtual ou estar nas redes sociais significa que você deve encher a sua página de banners e anúncios. Atualmente, as pessoas prestam cada vez menos atenção nesses recursos.

A melhor alternativa é criar conteúdo relevante. Então, se você tem um pet shop, crie posts no seu blog que são interessantes para os donos de animais. Vamos pensar em alguns exemplos:

  • como cuidar dos bichinhos da melhor maneira: alimentação, banho, etc;
  • quais cuidados devem ser tomados com fatores como segurança, medidas para evitar parasitas e outros;
  • opções para manter a higiene de um ambiente com animais domésticos;
  • principais ameaças à saúde dos bichinhos, vacinas e métodos de prevenção;
  • técnicas para ensinar o animalzinho a fazer suas necessidades nos locais certos.

É lógico que aqui temos alguns exemplos referentes a esse tipo de negócio, mas o importante é que você perceba que esses são assuntos que o público-alvo costuma pesquisar na internet. Portanto, tratar desses temas é uma oportunidade para fisgar o consumidor e ainda criar links para os seus produtos.

Esse mesmo raciocínio pode ser aplicado a qualquer outro negócio. O principal é que o consumidor tenha um motivo para chegar ao seu site — um conteúdo relevante, que atende às suas necessidades.

3. Apareça nas redes sociais

O primeiro passo você já deu: produzir conteúdo relevante no seu blog. Agora, é hora de fazer o seu site aparecer. Um excelente meio para fazer isso é divulgar seus posts nas redes sociais.

Essa é uma ótima forma de ganhar seguidores e, mais que isso, fazer com que o próprio público faça propaganda do seu negócio. Funciona assim: imagine que a sua clínica de estética fez um post falando sobre métodos para combater a celulite.

Quando a sua clínica divulga esse post nas redes sociais, você pode ter certeza de que um exército de mulheres vai achá-lo muito interessante. Geralmente, quando gostam, elas compartilham o conteúdo em suas redes sociais.

Assim, um post tem a capacidade de alcançar um círculo cada vez maior de pessoas. São os seguidores que compartilham com seus amigos, que também compartilham com seus amigos — e assim por diante!

4. Interaja com o público

Existe um ponto em que você precisa prestar atenção: atualmente, as pessoas não querem apenas receber informação. Elas querem interagir e desenvolver um relacionamento com aquela marca.

Uma das formas de fazer isso é por meio das redes sociais. Por isso, é sempre indispensável responder às perguntas e aos comentários dos seus seguidores. Seja extremamente cordial, mesmo que a mensagem contenha uma crítica.

Atualmente, as redes sociais permitem inúmeros recursos para chamar a atenção do público-alvo. Pode ser uma live para tirar dúvidas ou um webinar sobre um tema escolhido pelos seguidores, por exemplo. O que vale é construir esse relacionamento e encantar clientes.

Essa é também uma forma de imprimir uma imagem. De acordo com a ideia que você quer que o público tenha, crie um padrão de comunicação. A Netflix, por exemplo, é conhecida pelas suas respostas sempre muito bem-humoradas. O importante é não deixar o consumidor “no vácuo”.

5. Participe de grupos

Onde achar consumidores potenciais para o produto que você fornece? Nos grupos! Afinal, são pessoas que já têm algum tipo de necessidade ou interesse naquele assunto. Portanto, elas estão mais dispostas (ou até ansiosas) para comprar ou consumir determinada mercadoria ou serviço.

6. Recorra aos anúncios

Outra maneira de alcançar o seu público-alvo é com os anúncios. O Facebook e o Instagram, por exemplo, trabalham com o Ads. Com investimentos muito baixos, é possível exibir o seu conteúdo para pessoas que têm interesse naquele tema.

Se o empreendedor tem uma loja de produtos para bebês, por exemplo, ele pode definir alguns critérios para a exibição de anúncios: mulheres, faixa etária específica, com interesse em bebês.

Caso a sua loja tenha um e-commerce, você pode programar o anúncio para ser exibido para as pessoas que satisfazem esses critérios, de forma geral. No entanto, se o seu comércio é local, é possível configurar a exibição apenas para as pessoas próximas do seu negócio.

Acredite, a internet e as redes sociais têm mecanismos muito eficientes para identificar o que as pessoas pesquisam e, dessa forma, determinar seus interesses. Assim, seu anúncio será mostrado no feed da rede social de quem é, de fato, um potencial comprador.

7. Entenda como o negócio funciona

Porém, existem muitas empresas que reclamam. Elas falam que criaram um site, um blog e páginas nas redes sociais e mesmo assim não tiveram o retorno que queriam.

O que podemos afirmar, com toda a certeza (e existem muitas estatísticas para provar isso), é que o problema não é o meio. O marketing digital realmente traz excelentes resultados para as empresas e é uma verdadeira mina de ouro para pequenos negócios.

O que acontece, muitas vezes, é que alguns empreendedores não entendem que o sucesso exige mais que empreendedorismo — é preciso ter profissionalismo. Então, assim como qualquer outra atividade, entender como o marketing digital funciona para saber utilizar a estratégia corretamente é essencial.

É preciso escolher os conteúdos da maneira correta, levar em conta o funil de vendas e ajudar o consumidor a atravessar uma jornada de compra. Esta começa com a identificação das necessidades e continua até a decisão de adquirir um produto.

Existem muitas informações na internet. É possível aprender, encontrar as tendências e obter dicas? Com certeza. Porém, não dá para esquecer que tudo isso — criar conteúdo, otimizá-lo para conquistar as primeiras posições do Google e interagir com os consumidores — exige conhecimento e tempo.

Nem sempre o empreendedor, na correria para conduzir seu negócio, tem tempo para fazer tudo isso. Então, para não desviar do seu core business e garantir resultados, a melhor alternativa é investir em uma empresa que conheça essas técnicas e faça isso profissionalmente, como uma consultoria de marketing digital.

Por mais que essa medida envolva custos, é melhor entender que um investimento bem-feito garante retorno. Por outro lado, um plano ineficaz ou mal executado só gera frustração e impede o crescimento da empresa.

Acredite! Com o marketing digital sua empresa pode ganhar presença no mundo virtual e conquistar consumidores reais. Essa é, atualmente, a receita de sucesso que tem feito com que muitos negócios saíssem de um início modesto para ganhar um enorme espaço no mercado.

Entendeu como o marketing pode ajudar o pequeno empreendedor a alavancar as vendas, expandir o negócio e aumentar o faturamento? Ficou interessado? Quer saber mais sobre o assunto?

Então não perca tempo! Baixe agora mesmo nosso e-book e saiba como dar os primeiros passos para transformar seu negócio com o marketing digital. Aproveite!

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *