Finanças pessoais vs. Finanças da empresa: como e por que separá-las?

Apesar de ser uma prática relativamente comum, misturar as finanças da empresa com as contas pessoais é um dos maiores erros que um empreendedor pode cometer na gestão do seu negócio. Levar as contas de casa para serem pagas com o dinheiro empresarial pode fazer com que, em longo prazo, o capital já não seja suficiente para honrar os compromissos — o que leva a sérios prejuízos, ou mesmo à falência.

A seguir, vamos falar sobre algumas ações que podem ser tomadas, que ajudam a fazer a separação e como elas podem ser aplicadas. Quer saber mais? Então continue com a leitura!

Crie contas separadas no banco

O primeiro passo para que você consiga separar as finanças pessoais das finanças da empresa é abrir contas diferentes no banco. Assim, uma delas fica destinada apenas à pessoa jurídica, enquanto a outra é dedicada à pessoa física. Dessa forma, todas as movimentações de entrada e saída de dinheiro são feitas de forma totalmente isolada.

Defina o pró-labore

O pró-labore é como um salário que o empreendedor tem direito a receber mensalmente. Dessa forma, o valor referente a essa retirada deve ser definido — tomando o cuidado de não colocar um valor muito alto, que não condiz com os lucros da empresa — e, depois disso, nenhum dinheiro a mais deve ser pego, ou usado para pagar as contas.

Estabeleça reservas mensais para você e para a empresa

Após ter definido qual o seu pró-labore, controle o seu fluxo de caixa e o planejamento financeiro pensando já em um percentual a ser destinado como reserva financeira para a empresa. Diferente do capital de giro, a reserva financeira irá ser destinada tanto para momentos de queda inesperada de faturamento, quando para reinvestimento em alguma área da sua empresa.

Além dessa reserva financeira para a empresa, com o que determinou de pro-labore, reveja suas despesas pessoais de modo que, você também tenha uma reserva para momentos de instabilidade e emergência.

Não leve as contas pessoais para a empresa

Essa parece uma dica óbvia, mas é exatamente o hábito de levar as contas pessoais — água, luz, telefone, entre outras — que faz com que elas sejam incluídas nas demais para serem pagas. Portanto, essa atitude deve ser cortada imediatamente e permanentemente.

Vale lembrar que a disciplina é muito importante para que você consiga ter maior controle sobre as finanças da empresa e, sobretudo, conseguir melhorar os resultados.

Acompanhe o fluxo de caixa

O fluxo de caixa é o registro de todas as movimentações financeiras que acontecem na sua empresa. Ou seja, ajuda a manter o controle de todas as entradas e saídas que acontecem durante determinado período. Ele serve, entre outras coisas, para ajudar a realizar uma previsão de como será o desempenho do negócio — lucro ou prejuízo.

Por meio dele você pode avaliar a saúde financeira do seu negócio e também ver como o pagamento de suas contas pessoais comprometem os lucros, ou mesmo colaboram para que o índice de endividamento seja mais alto do que o necessário.

Controle o seu orçamento pessoal

Outra forma bem eficaz de conseguir separar as finanças pessoais das finanças da empresa é controlando o seu orçamento mensal. De acordo com o seu pró-labore — que é a sua receita — você deve relacionar seus gastos e analisar se eles estão de acordo com o que você recebe.

Se as contas somam um valor maior do que os recebimentos, o ideal é mudar os hábitos de consumo, em vez de utilizar os recursos da sua empresa para cobrir as diferenças.

Como você pode ver, existem diversas soluções que podem ser adotadas para evitar utilizar as finanças da empresa para honrar os compromissos pessoais. Por meio delas, você consegue controlar melhor o capital e aprimorar os resultados, além de garantir a saúde financeira e o sucesso do negócio.

O que você achou desse artigo? Conta para a gente nos comentários!

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *