Educação financeira e a importância dela para empreendedores

Educação financeira é um termo que costuma soar como chato para os brasileiros, e nem um hábito cultural no nosso país.

Prova disso é um levantamento realizado pelo Instituto Axxus, em parceria com a Unicamp e a Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), que mostra que 80% dos trabalhadores brasileiros não conseguem poupar e realizar alguma forma de investimento, sendo que os outros 20% aplicam em algum fundo ou somente nos meses quando sobra alguma quantia.

O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) também fizeram uma pesquisa que comprova que poupar não é um hábito do brasileiro. Só 35% dos brasileiros costumam poupar com frequência, sendo que 28% só guardam o que sobra do orçamento e apenas 7% realmente estipulam um valor a ser poupado.

Diante dessa realidade, é válido parar para pensar na importância da educação financeira para empreendedores. Se empreender já é um desafio, imagine a complexidade de gerir o próprio negócio. Sendo assim, para entender como a educação financeira pode influenciar no funcionamento da sua empresa e impactar nos resultados do negócio, acompanhe o nosso conteúdo.

Por que educar financeiramente os empreendedores?

O empreendedor precisa da educação financeira não apenas para driblar a concorrência, mas principalmente para manter a saúde financeira da empresa em dia, fortalecê-la no mercado e, mais que isso, construir as condições ideais para dar sobrevida e segurança ao negócio no futuro.

Dessa forma, o empreendedor deve ter a consciência de que a educação, bem como, o planejamento financeiro, são o mínimo essencial para que seu negócio se inicie de maneira saudável e tenha chances de não apenas perdurar no mercado, como ainda driblar a concorrência e ser uma empresa de sucesso e resultados positivos a longo prazo.

Qual a importância do planejamento financeiro?

O planejamento financeiro deve ser a prioridade do empreendedor, antes mesmo de se iniciar um negócio. Antes de começar a empreender, é preciso analisar o mercado em que se deseja entrar e as reais possibilidades de a sua ideia dar certo, analisando principalmente o público que ela atende.

Depois disso, é preciso traçar etapas para entender custos e gastos para abrir e manter a empresa em funcionamento. Sendo assim, o planejamento financeiro deve ser uma prática cotidiana do empreendedor (proprietário do negócio) para garantir a organização e as operações da empresa.

Dentre as principais questões a serem consideradas nesse planejamento estão: o monitoramento dos custos, gastos e das receitas, a avaliação do orçamento da empresa, a gestão do fluxo de caixa, as necessidades de investimentos e empréstimos, dentre outras.

Quais as dicas de educação financeira primordiais para o empreendedor?

O empreendedor deve, antes de mais nada, aprender a organizar as finanças dos seus negócios. Isso vai garantir que a empresa seja rentável e financeiramente estável. Outra dica importante, é manter as contas pessoais em dia, e gerí-las separadamente, ou seja, não misturar as contas pessoais com as do negócio.

Além disso, é preciso estar atento, pois se o empreendedor não for capaz de manter as próprias contas em dia, provavelmente terá também dificuldades de organizar as contas da empresa. Algumas noções de educação financeira devem começar a ser aplicadas em casa, para refletirem também no comportamento profissional do empreendedor.

O empreendedor precisa também estabelecer, desde o início, o valor exato de seu pró-labore, ou seja, a quantia que corresponde ao pagamento do seu trabalho como sócio ou diretor do negócio. Principalmente na vida inicial da empresa, é importante que esse valor seja o mínimo possível, para não comprometer o caixa.

É preciso ainda seguir o que foi definido, e nunca tirar do caixa mais do que o valor previamente definido. Se o empreendedor começar com esse hábito, ele deve se esforçar para eliminá-lo e fazer a retirada do caixa com total planejamento.

O proprietário da empresa tem ainda que organizar os meios de pagamento, para que eles sejam mais seguros, ágeis, controláveis e menos burocráticos. É válido optar pelos pagamentos online, evitar a ida a bancos, tanto para não perder tempo com filas, trânsito, quanto para não correr riscos de transitar com quantias significativas em grandes cidades.

Os pagamentos online também são mais simples de serem controlados. Não sendo necessário armazenar papéis, comprovantes, já que tudo estará salvo e organizado virtualmente.

Outro ponto importante a ser considerado pelo empreendedor é o estudo constante e a vontade de aprender. É preciso ser curioso e buscar entender mais sobre finanças, contabilidade, conceitos de educação financeira, desde os mais básicos, como lucro, faturamento e investimentos, até os mais complexos.

Quanto mais conhecimento, mais fácil vai ser gerir o negócio e acertar nas decisões financeiras, como controlar o fluxo de caixa e ter um bom capital de giro.

Deu para perceber como a educação financeira deve permear a vida do empreendedor desde o início do negócio? Vale destacar que ela é ainda mais importante para o empreendedor que quer escalar o negócio.

Dessa forma, é preciso estudar, buscar conhecimento e se dedicar para organizar as finanças da empresa, e mais que isso, implantar inovações nessa gestão para torná-la sólida e segura.

E então? O que achou das nossas dicas sobre colocar a educação financeira em primeiro lugar, antes de começar a empreender? Para saber como evitar gastos desnecessários, ter bastante foco nas despesas e controle do fluxo de caixa. Conta para a gente nos comentários!

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *